• Aderbal Machado

Aprovadas três federações partidárias para a eleição deste ano no Brasil

Até o momento, o TSE homologou a formação de três federações partidárias por terem cumprido os requisitos formais exigidos na Lei 14.208/2021, que criou o novo instituto.


Um dos requisitos é que a união das siglas, bem como um programa conjunto e uma diretoria em comum, tenham sido aprovados pelo órgão de deliberação nacional de cada uma das agremiações envolvidas.


A primeira federação aprovada pelo TSE chama-se Brasil da Esperança e reúne PT, PCdoB e PV e será presidida por Gleisi Hoffmann, atual presidente do PT. A primeira e a segunda vice-presidências ficam com Luciana Genro, presidente do PCdoB, e José Luís Penna, presidente do PV.


Outra federação reunirá PSOL e Rede,com presidência de Guilherme Boulos, atual presidente do PSOL, tendo como vice-presidente Heloísa Helena, presidente da Rede.

Completa a lista a federação formada por PSDB e Cidadania, a ser chefiada pelo presidente tucano Bruno Araújo, tendo como vice Roberto Freire, presidente do Cidadania.

Esses partidos, a partir de agora, devem ficar unidos por quatro anos, agindo como bancada única no Congresso Nacional. A aliança deve ser respeitada também pelos diretórios regionais.

O ingresso em uma federação ajuda ainda as siglas menores a superar a cláusula de barreira, mantendo assim verbas do Fundo Partidário e o acesso a cargos de liderança. Isso ocorre porque os votos nas eleições proporcionais, para deputado federal e estadual, são contabilizados de forma única para toda a federação.


(ABr)

LogomarcaMin2cm.jpg