• Aderbal Machado

Prefeito gestiona no sentido de usar instalações do Santa Inês para UTI

A informação da prefeitura:

O prefeito Fabrício Oliveira esteve reunido esta semana com os proprietários do Hospital Santa Inês avaliando a possibilidade de utilização das instalações deste hospital para a abertura de novos leitos de UTI exclusivos para tratamento de COVID-19.

A utilização do espaço já havia sido proposta ao Governo do Estado em março passado sem que tenha progredido.

O prefeito também se reuniu com a equipe médica da Secretaria de Saúde Municipal para avaliar a viabilidade da criação desses novos leitos na estrutura do Santa Inês. As tratativas com orçamentos e avaliações técnicas seguem durante esta semana.

Neste momento particularmente complicado e delicado para todos ante a pandemia e a evolução de infectações, o administrador precisa ser ágil e atuar, ainda que sob risco de cometer equívocos. Uma ação equivocada, mas tentada, é melhor do que nenhuma ação. O pecado da omissão é inaceitável.

Porém a utilização de leitos do Hospital Santa Inês - o que é alvissareiro -, com instalações já prontas, bastando, quem sabe, poucas adaptações possíveis, precisa ter algumas respostas: 1) como ficará a manutenção desta estrutura, financeiramente falando, se compartilhada entre estado e município ou apenas o município; 2) se há equipes suficientes para o atendimento adequado. Não dá para correr o risco de não se pode segurar a atividade como deve e precisa ser.

A preocupação, a nossa ver, tem lógica, inobstante a necessidade do momento. Não se pode adotar uma medida, mesmo sob o caráter de urgência, se não se tiver os meios seguros de sustentá-la, sem soluções de continuidade.

A razão da preocupação tem base: o que o estado (não) faz a gente já sabe.



LogomarcaMin2cm.jpg