• Aderbal Machado

O poder dos partidos e filiados não demarca a potencialidade de votos dos candidato aqui e no Brasil


Já publicamos aqui: número de filiados, diretórios, bancadas federais e estaduais, mesmo eleitos para governos estaduais e municipais ou bancadas de vereadores não garante poder eleitoral a nenhum partido. É só olhar os números das bancadas legislativas e dos votos obtidos por muitos candidatos, em contradição ao tamanho de seus partidos em qualquer situação que se olhe.

Por isso é essencial que, em eleição, os partidos todos se preocupem é com a qualidade dos seus candidatos e formem chapas fortes. Isso é reforçado, igualmente, pelo biotipo do eleitorado brasileiro: 70% ou mais não votam por causa de partido, mas no nome e, eventualmente e nem sempre, nas propostas eleitorais.

Exemplificando, na imagem anexa, os filiados dos vários partidos com diretório em Balneário Camboriú. O maior deles continua sendo o PSDB, com apenas um cargo na Câmara - a vereadora Juliana Pavan, ainda assim mais por causa do nome e da campanha cerrada do pai, Leonel Pavan - que, inobstante tenha desgaste, ainda é dono de votos cativos a ele e a quem indique. Na verdade foi sofrido, pois nem chegou a mil votos, mas chegou. E o PSDB reduziu a bancada. Ou seja: nem os filiados votaram em peso, coisa que acontece também com outros partidos e, por isso mesmo, legendas nanicas elegem seus candidatos, como o Podemos, do prefeito Fabrício Oliveira, com 198 filiados, elegeu quatro vereadores.

De outro parte, o vereador mais votado, Lucas Gotardo, do Novo, forma um exemplo inverso. Outros também. O partido que mais ou menos sugere relação votos/legenda, é o MDB, segundo maior em filiados no município.

Este é o fenômeno natural das eleições. Que o diga o MDB, com Ulisses Guimarães em 1989, o maior exemplo do que se está dizendo aqui.

E nem importa, no caso de outros, a mudança de partido. Isso comprova que é o nome que importa e o tipo de relação que tenha com o eleitorado. Como Marcelo Achutti, que já migrou do PSDB para o PP e depois para o MDB e continua se elegendo.

Poderíamos citar outros exemplo aqui mesmo, mas em cada município há toda uma sucessão de exemplos neste sentido.


LogomarcaMin2cm.jpg
3420-05-WEBBANNER-PORTAL-ADERBAL-MACHADO