Mosquito da dengue: toda Amfri é considerada infestada, exceto o município de Luiz Alves


No período de 03 de janeiro a 21 de agosto de 2021, foram identificados 45.984 focos do mosquito Aedes aegypti em 219 municípios. Comparando ao mesmo período de 2020, quando foram identificados 25.680 focos em 187 municípios, observa-se um aumento de 79,1% no número de focos detectados.

Em relação à situação entomológica, até a SE nº 33/2021, são 115 municípios considerados infestados.

A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

No período de 03 de janeiro a 21 de agosto de 2021, foram notificados 31.986 casos de dengue em Santa Catarina. Desses, 19.166 (60%) foram confirmados (9.230 pelo critério laboratorial e 9.936 pelo critério clínico epidemiológico), 617 (2%) inconclusivos (classificação utilizada no SINAN para os casos que, após 60 dias da data de notificação, ainda não tiveram sua investigação encerrada), 11.643 (36%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 560 (2%) estão sob investigação pelos municípios.

Do total de casos confirmados até o momento, 18.513 são autóctones (transmissão dentro do estado), 65 casos são importados (transmissão fora do estado), 467 casos estão em investigação de Local Provável de Infecção (LPI) e 121 são indeterminados, pois não foi possível definir o LPI.

Foram registrados 147 casos de dengue com sinais de alarme em residentes nos municípios de Joinville (133), Itajaí (07), Navegantes (03), Araquari (01), Camboriú (01), Dona Emma (01) e Santa Helena (01), e 10 casos de dengue grave em residentes no município de Joinville (09) e Camboriú (01).

Ocorreram seis (06) óbitos pela doença: dia 30 de abril, um paciente de 49 anos, dia 1° de maio, um paciente de 79 anos, dia 02 de maio, um paciente de 75 anos, dia 13 de maio, um paciente de 33 anos, dia 24 de maio, um paciente de 49 anos e dia 1° de junho um paciente de 68 anos.

Até a SE 33, quatro (4) municípios de Santa Catarina foram considerados em situação de epidemia. O município de Joinville apresenta o maior número de casos autóctones (16.433) no Estado, o que representa praticamente 88,8% do total de casos no ano de 2021, e a taxa de incidência é de 2.749,6 casos por 100 mil/hab. Além de Joinville, o município de Navegantes também teve epidemia de dengue com 670 casos autóctones e a taxa de incidência de 822,3 casos por 100 mil/hab, o município de Camboriú com 301 casos e a taxa de incidência de 362,7 casos por 100 mil/hab e o município de Santa Helena com 49 casos autóctones e a taxa de incidência de 2.227,3 casos por 100 mil/hab.

A caracterização de epidemia ocorre pela relação entre o número de casos confirmados e de habitantes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes.

Na Amfri, são considerados municípios infestados Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Camboriú, Ilhota, Itajaí, Itapema, Navegantes, Penha, Porto Belo. Só ficou de fora da lista o município de Luiz Alves, dentre os 11 da Amfri.


Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

  • evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

  • guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

  • mantenha lixeiras tampadas;

  • deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

  • plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

  • trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

  • mantenha ralos fechados e desentupidos;

  • lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

  • retire a água acumulada em lajes;

  • dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;

  • mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

  • evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;

  • denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

  • caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.


LogomarcaMin2cm.jpg