• Aderbal Machado

Limpeza urbana, uma tarefa para quem cuida e outra para quem produz lixo

Há o ditado, nascido de uma piada: os coletadores não são "pessoas do lixo", mas da limpeza. Do lixo somos nós.

Assim, lidamos com volumes consideráveis lixo urbano, dividido entre resíduos sólidos comuns (1), resíduos recicláveis (2), resíduos sólidos de serviços de saúde (3), resíduos sólidos especiais (4).


(1) - Trata-se da coleta de resíduos sólidos comuns gerados nas residências, estabelecimentos comerciais, públicos, institucionais e de prestação de serviços. Após serem coletados esses resíduos são transportados ao aterro sanitário.

É realizada, diariamente, no centro da cidade e, três vezes por semana, nos bairros, conforme a setorização de cada região.


(2) - É realizada por veículo especialmente adaptado e identificado. Todo resíduo coletado é encaminhado para as associações e cooperativas de reciclagem. A determinação dos locais de entrega dos resíduos recicláveis é feita pelo Município.

A coleta é realizada uma vez por semana (segunda-feira a sábado), conforme setorização preestabelecida.

A colaboração da comunidade é fundamental, pois a separação dos resíduos recicláveis resulta em benefícios, como a redução de resíduos a serem dispostos em aterro, redução de extração de recursos naturais e, consequente, melhoria para o meio ambiente.


(3) - É um serviço diferenciado de coleta de animais mortos de pequeno porte e de resíduos sólidos de serviços de saúde gerados em locais de atendimento à saúde (hospitais, postos de saúde, clínicas médicas, veterinárias e odontológicas, laboratórios e outros do gênero).

A coleta é diária, em hospitais, e alternada nos demais estabelecimentos, conforme roteiros preestabelecidos.


(4) - A Ambiental Limpeza Urbana e Saneamento Ltda. realiza a coleta especial programada de resíduos sólidos volumosos, de segunda-feira a sábado no horário das 06h às 14h20min.

Esse serviço é realizado por agendamento. O usuário deverá ligar, em horário comercial, para o fone (47) 3169-2900.


Os materiais recolhidos são:

- Cama, sofá, colchão, guarda-roupa, tapete, podas de árvore, madeiras, máquina de lavar, geladeira e fogão.


Materiais não coletados:

- Micro-ondas, computadores e periféricos, celulares, TV, DVD, aparelhos de som, máquinas fotográficas, lâmpadas e resíduos de construção.

- Resíduos que contenham em sua composição materiais químicos, como: lata de tinta, solventes, vernizes e etc.


O volume máximo coletado a cada solicitação é de até ½m³.


Há realidades cuja exposição é necessária: As mazelas eventuais se devem mais a quem não acondiciona ou coloca o lixo para coleta. Às vezes em horas indevidas, muitas vezes de forma inadequada. Isso tudo apesar das insistentes e permanentes campanhas de conscientização. Resolve pouco, pois cada um se atém à sua própria conveniência, sem pensar no todo e na imagem da própria cidade. E se é a imagem da cidade, é a de cada um e de todos quantos nela residam ou vivam.


Na faixa de areia da Praia Central, por exemplo, antes do alargamento, havia 300 coletoras de lixo na área de banho. Com o alargamento, multiplicaram-se por dois: hoje são 900. A imagem da matéria mostra bem. Uma muito perto da outra, exigindo praticamente nada de deslocamento a quem queira descartar resíduos ou sobras. Fácil demais. Mesmo assim é comum ver-se lixo deixado na areia por banhistas.


A Ambiental faz a sua parte de forma competente. Disso não há dúvida. Mas precisamos nós fazer um pouco mais.


LogomarcaMin2cm.jpg