• Aderbal Machado

Jorginho Melo (PL) está bem na fita, segundo pesquisas em SC, mas disputa terá personagens fortes


A pesquisa do IPC, divulgada agora, mostra Jorginho Melo (PL) muito bem. Em quatro dos cinco cenários mostrados, ele supera Carlos Moisés, atual governador, na preferência do eleitor. Sim, pesquisa revela a sensação de um momento, mas não deixa de ser um sintoma interessante para um pretendente como Jorginho, competindo com o atual detentor do poder.

Haverá de se admitir, protestem alguns ou não, a influência que ainda será exercida na eleição de SC e de outros estados, do apoio do presidente Jair Bolsonaro. E Jorginho terá esse apoio, com toda certeza. Aberto e franco. Declarado aos quatro ventos.

É uma recíproca difícil de não acontecer. A proximidade e a interação entre ambos é fortíssima e contínua. Não há interregnos de humor.

Mostra-se, na mesma pesquisa, a fragilidade do MDB, com o nome de Antídio Luneli (prefeito de Jaraguá do Sul), o remanescente das conjecturas emedebistas nas suas escolhas, contra a vontade quase unânime dos deputados estaduais, afinal vencidos.

Diria João Matos, ex-deputado estadual e federal, ex-secretário regional na Amfri e ex-secretário da Educação: o MDB voltou a ser a quinta roda da carroça, sem protagonismo direto, exceto as vinculações de usufruto do poder, caso vença Moisés. E, por certo, com o seu potencial legislativo (se mantido nesta eleição, claro), também de Jorginho ou qualquer outro. É uma característica indefectível do MDB desde sempre. Não ser o rei, mas ser o melhor e mais íntimo amigo do rei.

Haverá uma disputa interessante também se, como se fala, entrarem na disputa Raimundo Colombo e João Rodrigues. Embora colocados em níveis inferiores nas pesquisas, são lideranças de forte influência nas suas regiões eleitorais (Serra e Oestão) e, no caso de Colombo, também noutras áreas, por causa de seus mandatos como governador.

Será um debate interessante a ser presenciado nos programas eleitorais.

LogomarcaMin2cm.jpg