Júri aplica 12 anos de reclusão em homem que atirou em desafeto, mas acertou e matou transeunte

Um homem acusado de homicídio duplamente qualificado foi condenado a 12 anos de reclusão, em sessão do Tribunal do Júri na comarca de Criciúma promovida na última quinta-feira (12/11).

Segundo a denúncia, o réu teria participado do crime em que um corréu atirou contra um desafeto, mas acabou por atingir terceiro. O crime, supostamente motivado por conflitos referentes ao tráfico de drogas, aconteceu em dezembro de 2015, quando a vítima foi morta a tiros em frente a um clube no bairro Próspera, em Criciúma.

Na sessão presidida pelo juiz Júlio César Bernandes, titular da 1ª Vara Criminal da comarca de Criciúma, o Conselho de Sentença reconheceu que o crime de homicídio foi praticado por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima¿. O homem foi condenado a 12 anos de reclusão, em regime inicial fechado, e teve negado o direito de recorrer em liberdade. Cabe recurso da decisão ao TJSC.


(Ação Penal 0000759-31.2018.8.24.0020).


LogomarcaMin2cm.jpg