• Aderbal Machado

Hospital Ruth Cardoso: um buraco negativo de despesas de mais de R$ 220 milhões em cinco anos

Bom saber da novidade, dando conta da ampliação do Hospital Ruth Cardoso, com instalação de mais cinco novas salas de observação e uma de medicação. A notícia da prefeitura sobre o assunto:

O Pronto Socorro Adulto do Hospital Municipal Ruth Cardoso ganhou cinco novas salas de observação e uma de medicação, por conta de uma ampliação feita pela Prefeitura de Balneário Camboriú no local. 

A estrutura também conta com salas de emergência, de sutura, de gesso, de medicação, de exames de imagem (ultrassom, raio-x e tomografia), quatro consultórios e duas salas de observação (uma feminina e uma masculina).

"Essa mudança proporciona uma melhoria na assistência aos pacientes, pois com as novas salas de observação nenhuma maca fica no corredor", comenta a diretora-geral do Hospital Ruth Cardoso, Syntia Sorgato. "Entre essas, outras melhorias estão sendo possíveis, como a instalação de novos focos cirúrgicos nas três salas do Centro Cirúrgico e nas duas do Centro Obstétrico", compartilha.

Em 2021, o Pronto Socorro Adulto prestou mais de 38 mil atendimentos aos moradores de Balneário Camboriú e região (Camboriú, Itapema, Porto Belo e Bombinhas). A unidade fica anexo ao Hospital Municipal Ruth Cardoso, localizado na Rua Angelina, s/n, no Bairro dos Municípios.

Como sempre, o esforço municipal cobre a leniência de estado e municípios vizinhos. Há um quadro a ser analisado, além do expostona nota acima, de mais de 38 mil atendimentos a moradores de Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema, Porto Belo e Bombinhas.

Está no Portal da Transparência da Prefeitura. Portanto, dados indesmentíveis e fidedignos. Desde 2016, portanto há cinco anos, 8.423 AIHs autorizadas para o Ruth. Dessas, 36,84% relativas a moradores locais e 63,16% a moradores de outras cidades. Somaram-se no período 45.541 internações, das quais 799 de outros estados ou o total de 46.340, exceto Covid (está bem claro no relatório).]


De 2016 até 2021 (período indicados adiante), foram gastos R$ 326.530.508,41 e os repasses recebidos (estados e municípios) somaram R$ 106.161.553,39. Um déficit considerável de R$ 220.368.955,02. Logicamente bancado pelos cofres de Balneário Camboriú.

Períodos considerados no relatório:

Julho a dezembro de 2016

Janeiro a Julho de 2021

2017, 2018, 2019, 2020 - de Janeiro a Dezembro.


A solução teria sido a proposta pelo prefeito Fabrício Oliveira, de o hospital tornar-se exclusivamente municipal, fechando a porta para outros municípios. Embora a medida fosse enaltecida, o MP acionou a Justiça, em nome da pandemia, para abortar a intenção, sob a exigência de o Estado aportar R$ 2 milhões mensais para os atendimentos. Dinheiro afinal nunca recebido, pois o Estado recorreu, deixando o abacaxi nas mãos do município, como sempre.


COMENTEI NO FACEBOOK:


LogomarcaMin2cm.jpg