• Aderbal Machado

Gestantes e puérperas devem receber segunda dose de outro laboratório, se 1ª dose foi AstraZeneca


O Ministério da Saúde (MS) autorizou nesta sexta-feira, 23, que mulheres vacinadas com primeira dose da AstraZeneca/Fiocruz e, que estejam gestantes ou no puerpério - período de 45 dias pós-parto - devem receber vacina de outro laboratório quando for o momento da segunda dose. A preferência é que seja com a Pfizer. Na ausência da vacina deste fabricante, a Coronavac (Sinovac/Butantan) também poderá ser usada como segunda dose.

A D2 deverá ser administrada no intervalo previamente agendado, respeitando o prazo previsto para o imunizante da primeira dose.


O Ministério da Saúde (MS) autorizou nesta sexta-feira, 23, que mulheres vacinadas com primeira dose da AstraZeneca/Fiocruz e, que estejam gestantes ou no puerpério - período de 45 dias pós-parto - devem receber vacina de outro laboratório quando for o momento da segunda dose. A preferência é que seja com a Pfizer. Na ausência da vacina deste fabricante, a Coronavac (Sinovac/Butantan) também poderá ser usada como segunda dose.

A D2 deverá ser administrada no intervalo previamente agendado, respeitando o prazo previsto para o imunizante da primeira dose.


Gestantes e puérperas ainda não vacinadas

Mulheres que estejam gestantes ou no puerpério, ainda não vacinadas, só podem receber doses das vacinas dos laboratórios Sinovac/Butantan e Pfizer. A vacinação com a AstraZeneca/Fiocruz está suspensa para este público.


Para que tenham direito à vacinação, gestantes e puérperas precisam comprovar a condição, por meio de relatório médico, carteira de acompanhamento da gestante/pré-natal, declaração de nascimento da criança ou certidão de nascimento. Além disso, a vacina contra a Covid-19 deve ser prescrita pelo médico que acompanha a mulher, após análise conjunta da avaliação de riscos e benefícios do uso da vacina.


Em relação às lactantes, não há mudanças. Devem seguir as mesmas orientações em relação à vacinação das gestantes e puérperas, recebendo doses dos laboratórios Sinovac/Butantan e Pfizer. No entanto, se já receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca/Fiocruz, devem receber a segunda dose do mesmo fabricante, não havendo recomendação de realizar intercambialidade.


NÚMEROS

Santa Catarina chegou a 1.100.959 pacientes com teste positivo para Covid-19, sendo que 1.068.170 se recuperaram e 15.063 estão em acompanhamento. O balanço foi divulgado nesta sexta-feira, 23. A doença respiratória causou 17.726 óbitos no estado desde o início da pandemia. A taxa de letalidade atual é de 1,61%.

O número de casos ativos registrou uma redução de 243 e há 19 novos óbitos na comparação com o boletim anterior. O total de confirmados cresceu 2.380, enquanto 2.604 pessoas passaram a se enquadrar nos critérios para serem consideradas recuperadas.

São Bento do Sul, Caçador, Rio do Sul, Indaial e Gaspar estão entre os 230 municípios que não registraram óbitos nos últimos sete dias.

Atualmente, há 1.510 leitos de UTI Adulto ativos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o estado, dos quais 1.196 estão ocupados, sendo 658 por pacientes com confirmação ou suspeita de Covid-19. A taxa de ocupação de UTI Adulto é de 79,2%.


Foz do Rio Itajaí:

Casos confirmados: 116.375 (15.903 por 100 mil hab.)

Casos ativos: 2.287 (312 por 100 mil hab.)

Óbitos: 1.970 (269 por 100 mil hab.)

Recuperados: 112.118


Balneário Camboriú:

24.998 confirmados, 298 ativos, 24.321 recuperados e 379 óbitos

Camboriú:

12.813 confirmados, 132 ativos, 12.521 recuperados e 160 óbitos

Itajaí:

35.586 confirmados, 1.195 ativos, 33.687 recuperados e 704 óbitos

Itapema:

12.072 confirmados, 44 ativos, 11.789 recuperados e 239 óbitos

LogomarcaMin2cm.jpg
3420-05-WEBBANNER-PORTAL-ADERBAL-MACHADO