• Aderbal Machado

Fundão Eleitoral: Amin comete incoerência entre o fazer e o dizer

Em pronunciamento nesta segunda-feira (20), o senador Esperidião Amin (PP-SC) fez um apelo para que o presidente do Senado e do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco, assuma a liderança de um movimento para reduzir o valor do Orçamento de 2022 destinado ao fundo eleitoral.


Na última sexta-feira (17), senadores e deputados federais abriram caminho para garantir o dinheiro do fundo eleitoral, com a derrubada do veto presidencial ao dispositivo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que tratava da questão. Nesta segunda-feira, o Congresso Nacional deve decidir se o valor ficará mesmo em R$ 5,7 bilhões, com a votação do projeto de Lei Orçamentária de 2022 (PLN 19/2021). VEJA O VÍDEO COM O PRONUNCIAMENTO

Para Esperidião Amin, é inaceitável que, diante de um cenário de crise, e com total reprovação da opinião pública, o Congresso Nacional não consiga, por meio de acordo, pelo menos reduzir o valor desse fundo.


— Em termos práticos, senhor presidente, eu me coloco no lugar do presidente da República. Se for este número, ele é obrigado a vetar de novo. E nós vamos prolongar pelo ano de 2022 um tema que é repudiado pela opinião pública e, o que é pior, coloca a política e as instituições democráticas no banco dos réus — conclamou.

Fonte: Agência Senado

==

O preclaro senador diz isto tudo, mas votou ela derrubada do veto presidencial ao Fundo Eleitoral. Ele e Dario Berger. O único senador a favor do veto foi Jorginho Mello. Tá jogando pra plateia, certamente ao perceber o resultado absolutamente negativo ante o eleitorado.

LogomarcaMin2cm.jpg