• Aderbal Machado

Finalmente, liberadas apresentações artísticas ao ar livre na cidade, com regras bem definidas

A cidade, por si só e suas características, não pode se fechar em caixas indevassáveis nas expressões artísticas. Isso é a sua vida. Houve momentos em que já tivemos amplas liberdades para exibições artísticas espontâneas ao ar livre, torpedeadas, não raro, por pressões de partes da população e até por ações via Ministério Público, sob a desculpa do barulho e dos abusos de ocupação de espaços. Nalguns momentos, com razão. Em boa parte, não. Mas tudo seria uma questão de adaptação, de ajustamento. As vontades não fluíram, contudo.

Agora, o prefeito Fabrício Oliveira elaborou lei neste sentido, liberando tudo e não apenas as manifestações artísticas patrocinadas ou promovidas diretamente pelo poder público, sob condições bem específicas, como não impedir livre fluxo de pessoas, respeitar o patrimônio público e natural, horário e livre fluência de trânsito. Normal e necessário. Claro, respeitados os limites de sonoridade e igualmente cobrança de qualquer valor.

Para melhor entendimento, leia o completo teor da lei aprovada AQUI.


LogomarcaMin2cm.jpg