• Aderbal Machado

Empresa de carga é condenada por transitar com excesso de peso nas rodovias brasileiras


Atendendo a pedido do Ministério Público Federal (MPF), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) condenou uma empresa de construção ao pagamento de danos morais coletivos pela prática reiterada de promover a saída e o trânsito de mercadorias e veículos de carga dos estabelecimentos comerciais da companhia, e de terceiros por ela contratados, com excesso de peso, em desacordo com a legislação de trânsito. O acórdão reconhece a conduta abusiva e a ofensa a diversos direitos tutelados pela Constituição Federal, com inegáveis prejuízos à sociedade.


Histórico - A partir dos dados obtidos pela Polícia Federal e pela Polícia Rodoviária Federal na Operação "Medida Certa", a procuradora da República em Santa Catarina Daniele Cardoso Escobar ajuizou a ação civil pública (ACP) pleiteando a condenação em danos morais coletivos, danos materiais e a obrigação de abstenção de promover a saída ou trânsito de veículos com excesso de carga. A 2ª Vara Federal de Florianópolis (SC) decidiu pela procedência parcial do pedido, fixando multa de R$ 50.000,00 por veículo flagrado com excesso de peso, e condenou a empresa ao pagamento de danos morais coletivos no valor de R$ 500.000,00.


O MPF interpôs recurso, defendendo também a condenação ao pagamento de danos materiais ao patrimônio público, decorrentes da degradação das rodovias pelo trânsito de veículos com excesso de peso. Além disso, conforme constou no apelo, o MPF argumentou que "a prática frequente de infração no transporte de carga com excesso de peso fere os interesses da coletividade, especialmente ao colocar em perigo a vida e a integridade física dos usuários que trafegam pelas rodovias, aumentando o risco real de acidentes e mortes".


O TRF4, apesar de manter a condenação em danos morais coletivos, afastou a imposição de multa caso a empresa deixe de cumprir a obrigação de não promover saída de veículos com excesso de peso. Segundo o procurador regional da República Waldir Alves, o MPF recorrerá para também buscar a condenação por danos materiais, bem como a manutenção da multa para inibir a saída de veículos do pátio da empresa que estiverem com excesso de carga.

  • Clique para ler a decisão do TRF4

  • Clique aqui para ler a inicial da ACP 50027402920174047200

LogomarcaMin2cm.jpg
3420-05-WEBBANNER-PORTAL-ADERBAL-MACHADO