• Aderbal Machado

Emasa confronta IMA: Praia Central está com todos os pontos balneáveis


De acordo com o relatório de balneabilidade que a Emasa promove e divulga, os dez pontos de coleta localizados na Praia Central mostram a qualidade da água do mar própria para o banho. As coletas foram feitas no último dia 12 de janeiro. Próprios também os pontos pesquisados na Praia de Laranjeiras, Taquaras, Estaleiro e Estaleirinho. O único ponto impróprio é o da coleta feita na Lagoa de Taquaras. A coleta e análise de balneabilidade é feita pelo laboratório Freitag, credenciado pelo IMA.


"Relatório recente divulgado pelo IMA apontou dos 15 pontos de coleta nas praias de Balneário Camboriú, 10 impróprios para banho, mas o fato ocorreu devido ao dia em que foi feita a coleta, o último dia 10 de janeiro, quando a cidade estava passando pelo impacto das fortes chuvas ocorridas na região", esclarece o diretor-geral da Emasa, Douglas Bebber.

A Emasa faz coletas periódicas, sendo que no verão até três vezes por semana, para ter um relatório de balneabilidade mais aprofundado que reflita a realidade das praias de Balneário Camboriú.


"O histórico de relatórios de balneabilidade tem demonstrado praticamente todos os pontos próprios para banho nas praias de Balneário Camboriú. Mas quando a coleta é feita em dias em que houve muita chuva, lógico que o relatório dá alterado. É um fato já conhecido que se repete. Especialistas sobre balneabilidade alertam, inclusive, que não se frequente o mar em período de muita chuva, quem dirá fazer coleta. Quando chove muito, a cidade é lavada, e as águas das ruas, galerias de drenagem, rios, vão todas para o mar alterando a balneabilidade", pontua a secretária de Meio Ambiente de Balneário Camboriu, Maria Heloísa Lenzi.


ALGUMAS ANOTAÇÕES: em debate no whatsapp da prefeitura, jornalistas falaram sobre o tema. Opiniões convergem no ponto principal: a Emasa analisa a água periodicamente, mas não divulga periodicamente. Falha grande. Isso permitiu a repercussão negativa da divulgação da análise do IMA, para muitos indevida, pois coleta amostras da água num dia (no caso o dia 9 de janeiro, chuvoso ao extremo) e só divulga cinco dias depois, quando a condição do mar muda completamente. Para melhor ou para pior. Portanto, o dado não é real.

A Resolução 274, do Conama, de 29 de novembro de 2000, que dispõe sobre o tema, diz, em seus artigos 4 e 5:

"Art. 4º -  Quando a deterioração da qualidade das praias ou balneários ficar caracterizada como decorrência da lavagem de vias públicas pelas águas da chuva, ou em conseqüência de outra causa qualquer, essa circunstância deverá ser mencionada no boletim de condição das praias e balneários, assim como qualquer outra que o órgão de controle ambiental julgar relevante.

Art. 5º - A amostragem será feita, preferencialmente, nos dias de maior afluência do público às praias ou balneários, a critério do órgão de controle ambiental competente."

O IMA nunca cumpriu esses dispositivos, causa de toda a celeuma.

LogomarcaMin2cm.jpg