CPI da Covid: duas médicas, dois depoimentos, dois currículos para conferir e divergir ou concordar


O Dr. Alessandro Loiola expôs 15 considerações sobre a Dra. Luana Araújo, depoente da CPI depois da Dra. Nise Yamaguchi. Ela foi enaltecida brutalmente e a Dra. Nise massacrada. Depois das onsiderações do Dr. Loiola, falemos da Dra. Nise:



1) De acordo com o portal do Conselho Federal de Medicina (CFM), a referida dra. registrou-se como médica pela primeira vez em 30 de janeiro de 2007.

2) Ainda segundo informações internéticas, dra. Luana possui um mestrado em Saúde Pública pela universidade Johns Hopkins Bloomberg, nos EUA, e foi a primeira brasileira a receber a prestigiosa Bolsa Sommer.

3) Pelos registros do CFM, a dra. trabalhou no estado do Mato Grosso, mas mora atualmente em Nova Lima (MG), na Região Metropolitana da capital mineira, e passa seus tempos livres ao piano.

4) Todavia, o CFM não possui um registro da dra. em Minas Gerais. Seu único registro ativo é o do RJ. Segundo info do site doctoralia, a dra. atende ou trabalha (ou atendia e trabalhava) no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho.

5) A dra. mora em MG desde de 2016, mas não possui registro médico em Minas Gerais. Seria ilegal que ela praticasse medicina em MG, mesmo morando naquele estado há 5 anos. Ou seja: desde 2016, não atende pacientes em MG, pois isso seria antiético, certo?

6) Porém, digamos que ela more em MG, mas tenha mantido seu vínculo com o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) no RJ, e esteja atendendo seus pacientes lá. Bem, curiosamente, o HUCFF não parece possuir registros da dra. Luana em seu quadro.

7) Mas vamos supor que a dra. atue mais no campo acadêmico. Não exatamente atendendo pacientes, mas produzindo “ciência”, pesquisando e publicando artigos científicos, por exemplo.

8) Lembrem-se q falamos de alguém com um “currículo de alta classe”, q “aprendeu a ler e a escrever sozinha, aos 2 anos de idade”, “possui um mestrado em Saúde Pública pela Johns Hopkins e foi a 1a brasileira a receber a prestigiosa Bolsa Sommer”!

9) Hum… lamentavelmente, não encontrei registro de livros ou artigos de sua autoria nos sites Scielo e Pubmed – principais bases de dados científicas que pesquisadores e cientistas em saúde utilizam para publicar seus trabalhos.

10) Porém, na base internacional Pubmed, encontrei registros da Dra. Nise Yamaguchi...

11) Nem na Amazon (maior loja virtual de livros do planeta), encontrei registros de livros publicados pela superdotada dra. Luana. Mas encontrei um disco. Este daí:

12) Puxa, até eu, que sou ninguém, não sou cientista, nunca fiz um mestrado na Johns Hopkins e nunca recebi uma Bolsa Sommer, tenho alguma coisa publicada na Amazon.

A Dra. Luana só tem lá isso daí:

13) E a vida da dra. é um mistério: dando um google para pesquisar por imagens dela, temos nenhuma foto de hospital, jaleco, estetoscópio, congresso, atendendo alguém em algum lugar…nada. Só isto daí:

14) Até eu apareço nas imagens do google – em algumas com um pouco mais de cabelo, até de livros que publiquei ao longo de minha carreira de médico atendendo pacientes no SUS… mas a dra. Luana, nada.

15) Agora, em vista disto tudo, alguém por favor explica para mim de onde veio a ideia do sr. Marcelo Queiroga de convidar a dra. Luana para o cargo de Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 no Ministério da Saúde?


Este é o Lattes da Dra. Nise Hitomi Yamaguchi:


Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 1982 e completou a Residência em Clínica Médica e Imunologia e Alergia no Hospital das Clínicas da FMUSP em 1988.


Durante os seus estudos realizou cursos na Alemanha e Suíça sobre a visão humanística do Paciente e seus familiares, participou de reuniões em Nova York, com cientistas do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, onde aprendeu aspectos da Imunologia de Tumores que resultaram na Tese de Mestrado defendida na Disciplina de Imunologia do HCFMUSP em 1993. Frequentou o MD Anderson Cancer Center em Houston, onde realizou os experimentos nos laboratórios do Professor Xiaochu Xu , sob os auspícios do Dr. Waun Ki Hong e do Dr. Reuben Lotan , e defendeu a tese de Doutorado na Disciplina de Pneumologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, em 2002.


Tem o título de Médica Cancerologista com área de atuação em Oncologia Clínica pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Cancerologia(SBC), tendo sido Diretora Científica da SBC entre 1997-2000, quando participou da idealização e organização dos Centros de Alta Complexidade no Brasil.


Foi Representante do Ministro da Saúde para o Estado de São Paulo entre 2008-2011, participou do International Affairs Committee da American Society of Clinical Oncology e é Cientista Senior do Instituto de Prevenção e Pesquisa e co-fundadora da World Cancer Alliance sediado em Lyon, onde colabora para melhorar o acesso ao tratamento do câncer em países de baixa e média renda e editou dois livros com o grupo de pesquisadores: State of Oncology 2013 e o Breast Cancer Report 2012.


É Diretora Presidente do Instituto Avanços em Medicina, Diretora Presidente do Instituto Nise Yamaguchi e é médica voluntária do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, onde estimulou a criação de um ambulatório de cessação de tabagismo em jovens, a criação de um grupo de inovação em novas tecnologias e programas de humanização e de cuidados com o cuidador.


Sua linha de pesquisa é sobre a Medicina Personalizada no Câncer, tendo dado aulas sobre o tema no Curso de Pesquisa Clínica da Harvard Medical School. É médica do Hospital Israelita Albert Einstein, onde participa do desenvolvimento científico e reuniões clínicas, com foco em assistência e educação médica continuada.


É diretora de Relações Institucionais da Associação Brasileira de Mulheres Médicas do Estado de São Paulo e do Brasil. Organiza congressos nacionais e internacionais, com foco em controle de Tabagismo e Medicina Personalizada e de Precisão. É autora/coautora de 3 livros na área de oncologia.


Foi laureada com inúmeros prêmios. Dentre os mais recentes destacam-se:


(1) 2019: Prêmio Latino-Americano - Cidade do México - Reconhecimento como fundadora das Conferências Latino-Americanas sobre Câncer de Pulmão, pelas atividades de Controle do Tabaco e pelo acesso de pacientes com câncer a melhores tratamentos em toda a América Latina.


(2) 2019: Prêmio de reconhecimento do Instituto Internacional de Prevenção e Pesquisa - Lyon-França (International Prevention and Research Institute recognition Award – Lyon-France) - julho de 2019 na reunião dos Diretores dos Institutos Nacionais de Câncer devido à Prevenção e Pesquisa, com foco na implementação pública e nas disparidades regionais.


É só comparar. Feito o negócio.

LogomarcaMin2cm.jpg