• Aderbal Machado

Condenado médico psiquiatra denunciado por estupro de paciente em posto de saúde

O médico psiquiatra denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina por ter estuprado uma paciente durante uma consulta em um posto de saúde de Joinville, foi condenado pela Justiça à pena de 12 anos, cinco meses e 10 dias de reclusão em regime fechado e ao pagamento de indenização por danos morais à vítima no valor de R$ 25 mil.

O réu, que já estava preso preventivamente, não poderá recorrer da sentença em liberdade. Na denúncia, o Promotor de Justiça Germano Krause de Freitas comprovou que o acusado se utilizou da sua condição de médico e, durante uma consulta, aproveitou-se da fragilidade da paciente, que procurara por atendimento psiquiátrico na rede municipal de saúde devido à sua depressão. O médico fez várias perguntas de ordem pessoal à paciente e abusou sexualmente da vítima no consultório, após trancar o recinto.

Ainda após o estupro, o psiquiatra, de 64 anos à época, ainda se utilizando da fragilidade emocional da sua paciente, a ameaçou, dizendo que ela não poderia fugir nem adotar qualquer medida contra ele, pois ele teria os dados pessoais da vítima, o que a deixou com medo de que essas informações pudessem ser usadas para prejudicá-la ou causar mal à sua família.

O nome do médico não é divulgado em função da ação tramitar em segredo de Justiça, a fim de preservar a intimidade da vítima.

O réu também é investigado em outros inquéritos por suspeitas de que tenha cometido os mesmos crimes contra outras vítimas.


LogomarcaMin2cm.jpg