• Aderbal Machado

Concessão do Centro de Eventos assinada e agora é aguardar a sua efetividade funcional


Assinado o contrato de concessão do Centro de Eventos de Balneário Camboriú.

Solenidade desta quinta-feira, final de tarde, no próprio local, com presença do governador Carlos Moisés, prefeito Fabrício Oliveira, senador Dario Berger, deputados e deputada estadual e outras autoridades.

Abre-se a perspectiva, segundo o presidente da Santur, de já dentro de dois meses realizar-se o primeiro evento, dando inicio efetivo ao funcionamento do Centro.

Agora é aguardar a efetividade do projeto. Todos estamos desejando sucesso e nem poderia ser diferente.

A concessão é a primeira de um governo estadual em todos os tempos, segundo disse o governador Carlos Moisés no seu pronunciamento.

O total investido para a construção do Centro de Eventos foi de R$ 142 milhões, sendo R$ 72,2 milhões do Governo Federal, R$ 50,8 milhões do Governo do Estado e R$ 19 milhões da Prefeitura de Balneário Camboriú.

Detalhe infeliz, por conta de uma falha do cerimonial: o prefeito Fabrício Oliveira, antes do início formal da solenidade, ficou fora do ajuntamento de autoridades. Só chegou lá por chamado da deputada Paulinha. Na fila de autoridades, deveria ter ficado ao lado do governador, por ser prefeito do município-sede e ser o anfitrião. Faltou critério. Ao lado do governador ficou o ex-prefeito, ex-deputado estadual, ex-secretário de turismo Leonel Pavan. Que chegou atrasado. Independente dos seus méritos indiscutíveis na consecução da obra ao seu tempo de gestor do turismo estadual, poderia ter sido privilegiado. Seria justo. Mas não com deferência superior ao prefeito da cidade.

A anotar a referência de Fabrício, nos seus pronunciamentos, aos ex-prefeitos por cujas mãos passaram as negociações para a concretização do ato: Pavan e Piriquito (ausente no ato e não se sabe se foi convidado).

Mas enfim, está ali. Vamos adiante. Quem anda pra trás é caranguejo.


LogomarcaMin2cm.jpg