• Aderbal Machado

Balneário Camboriú vai elaborar Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica


Balneário Camboriú começa, na próxima semana, os levantamentos para a elaboração do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (PMMA). Previsto na Lei da Mata Atlântica (Lei Federal nº 11.428/2006), o Plano deve ser criado por iniciativa dos municípios.


Os trabalhos de campos iniciarão na terça-feira (17). Equipes da empresa Alto Uruguai, vencedora da licitação aberta pela Prefeitura para esse fim, sereão ativados em áreas de vegetação e morrarias.


Documento de natureza técnica, o plano tem como finalidade definir e detalhar ações prioritárias e áreas para a conservação e recuperação da vegetação nativa e da biodiversidade da Mata Atlântica, com base em um mapeamento dos remanescentes e na percepção da sociedade.


Sobre a Mata Atlântica

Composta por formações florestais nativas e ecossistemas associados, como manguezais e vegetações de restingas, a Mata Atlântica tem cerca de 20 mil espécies vegetais, o que representa 35% das espécies existentes no Brasil, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente. A Mata Atlântica também abriga, aproximadamente, 850 espécies de aves, 370 de anfíbios, 200 de répteis, 270 de mamíferos e 350 de peixes.


As florestas e demais ecossistemas que compõem a Mata Atlântica são responsáveis pela produção, regulação e abastecimento de água; regulação e equilíbrio climáticos; proteção de encostas e atenuação de desastres; fertilidade e proteção do solo; produção de alimentos, madeira, fibras, óleos e remédios; além de proporcionar paisagens cênicas e preservar um grande patrimônio histórico e cultural.


(Imagem: Celso Peixoto - Texto: Silvana Castro)

LogomarcaMin2cm.jpg